Comparando Estratégias de Operacionalização de Variáveis em Relações Internacionais: a mensuração de capacidades do poder nacional

 A área de estudo das Relações Internacionais possui um arcabouço teórico e conceitual dotado de um importante conjunto de ferramentas e instrumentos de análise. Entretanto, muitas vezes, teorias sofisticadas e conceitos abstratos enfrentam uma distância significativa entre eventos que buscam explicar e os fenômenos que os caracterizam. Diante deste desafio, o ensino e pesquisa no campo das Relações Internacionais enfrenta a seguinte questão: como ensinar e demonstrar a capacidade de análise empírica das Teorias de Relações Internacionais? Este desafio no remete a um desafio comum nas Ciências Sociais: converter conceitos teóricos em conceitos operacionalizáveis. De forma a abordar essa questão, o presente artigo dedica-se à questão do poder e suas variantes.

Este artigo tem como objeto a conexão entre teorias e métodos de pesquisa empíricos nas Relações Internacionais. A partir do estudo do conceito teórico de poder, o trabalho compara distintas estratégias de operacionalização de suas variáveis e a criação de índices de poder nacional. A hipótese aqui testada consiste em que as estratégias de mensuração de poder podem ser importantes instrumentos de ensino e pesquisa no campo de Relações Internacionais, especialmente no sentido de promover a conexão entre teoria e empiria e a capacidade de analisar o mundo real sem descurar de hipóteses e fundamentos teóricos.

Com fins de lançar luz sobre a questão em tela, o presente artigo é organizado da seguinte forma: na revisão da literatura acerca do debate conceitual sobre poder e aspectos correlatos são apresentadas alternativas que permitem acomodar a complexidade teórica deste fenômeno com os limites da mensuração de capacidades. Em seguida, discorre-se sobre possibilidades de expressão matemática do poder. São apresentadas as fórmulas de poder perceptível de Ray S. Cline (1994) e as três equações de poder de Chang (2004).

A quarta seção ocupa-se da investigação de índices ligados aos fenômenos em tela. Analisa-se como nos Estados Unidos e na China surgiram projetos que propuseram distintas estratégias de mensurar capacidades nacionais. Para tal efeito, são comparados o Composite Index of National Capabilities (CINC) e o Comprehensive National Power (CNP), o primeiro do Projeto Correlates of War (COW) dos EUA e o segundo mensurado pela Chinese Academy of Social Science (CASS).

Conclui-se que a conversão de conceitos abstratos em variáveis operacionalizáveis reduz a riqueza do construto teórico do qual se parte e coloca o pesquisador diante de trade-offs metodológicos, independente se a abordagem for qualitativa ou quantitativa. Entretanto, entende-se que a proposta de articulação entre teoria e método apresentada neste trabalho constitui um estímulo para o aprimoramento metodológico das pesquisas na área de Relações Internacionais, tal como um maior aproveitamento dos potenciais analíticos das teorias da área. Por fim, o artigo conclui que as estratégias de mensuração de capacidades nacionais além de importantes ferramentas analíticas, podem ser úteis pedagogicamente para o ensino e pesquisa no campo das de Relações Internacionais.

Leia o Artigo

Júnior, A. W. M. T., Sousa, V. M., Leite, A. C. C. (2017) Comparando Estratégias de Operacionalização de Variáveis em Relações Internacionais: a mensuração de capacidades do poder nacional, Meridiano 47, DOI: http://dx.doi.org/10.20889/M47e18018

Sobre os autores

Augusto W. M. Teixeira Júnior – Universidade Federal da Paraíba, Departamento de Relações Internacionais, João Pessoa – PB, Brazil (augustoteixeirajr@gmail.com).

ORCID ID: orcid.org/0000-0003-3127-3629

Valéria de Moura Sousa – Universidade Federal da Paraíba, Departamento de Relações Internacionais, João Pessoa – PB, Brazil (mt.valeria1@gmail.com).

Alexandre César Cunha Leite – Universidade Estadual da Paraíba, Departamento de Relações Internacionais, João Pessoa – PB, Brazil (alexcleite@gmail.com).

Print Friendly, PDF & Email
Tagged with:    

Instituto Brasileiro de Relações Internacionais

Revista Brasileira de Política Internacional & Meridiano 47

Caixa Postal 4400 70919-970 – Brasília – DF Brasil

secretaria@ibri-rbpi.org

Informes do IBRI

Digite o seu e-mail para receber notícias do IBRI, da RBPI e de Meridiano 47 por email.

Junte-se a 11.244 outros assinantes

%d blogueiros gostam disto: